segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Prêmio de Gastronomia

Doces e Geleias Mr. Paul (Petrópolis), é  um dos finalistas na categoria Doces e Compotas da edição de 2014 do prêmio Maravilhas Gastronômicas do Estado do Rio de Janeiro
  
Produtores da Região Serrana participam da segunda edição do prêmio Maravilhas Gastronômicas do Estado do Rio de Janeiro, idealizado pelo jornalista Chico Junior, que também é autor dos livros “Roteiros do sabor brasileiro” e “Roteiros do sabor do Estado do Rio de Janeiro”. A votação vai até o dia 31 de outubro. Estão concorrendo mais de cem produtos distribuídos em dez categorias: da água, da terra, cachaças, cafés, cervejas, conservas e patês, doces e compotas, laticínios, mel e queijos. São 105 produtores participantes, sendo que 42 deles são de Petrópolis, Teresópolis, Nova Friburgo, Guapimirim, Cachoeiras de Macacu, Miguel Pereira e Paty do Alferes.
Em 2013, na primeira edição do Maravilhas RJ, os vencedores foram:
Entradas & Petiscos - Biscoito Globo (Rio de Janeiro)
Bebida - Caipirinha (Rio de Janeiro)
Da Terra -Sítio do Moinho (Itaipava- Petrópolis)
Laticínios - Queijo de cabra De Ville (Secretário- Petrópolis)
Da Água – Trutas do Rocio (Petrópolis)
Doces & Compotas - Sítio Humaytá (Itaipava- Petrópolis).



quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Bendita: uma nova proposta gastronômica em Itaipava


Já sentiu aquela vontade de saborear uma boa massa caseira, mas a disposição para encarar a cozinha era pouca? Agora você não precisa mais se preocupar com isso. Eis que surge em Itaipava uma proposta diferenciada unindo gastronomia e praticidade. Na “Bendita - Massas Artesanais”, o cliente tem a chance de escolher a receita de sua preferência e levá-la semi-pronta para ser finalizada em casa ou até mesmo no ambiente de trabalho. Tudo isto conservando os aromas e a qualidade do prato.
No cardápio é possível encontrar desde sugestões tradicionais até as mais refinadas. Todas elaboradas pela renomada chef Bruna Sena, formada em gastronomia e nutrição, traz na bagagem a experiência de quem já passou pelas cozinhas de restaurantes badalados como Nona e El Bulli. No Brasil trabalhou ainda com Alex Atala e Felipe Bronze, nomes de peso no cenário gastronômico nacional.
O fundador da marca, um apaixonado por gastronomia, que sempre frequentou a Região Serrana, revela como surgiu a ideia de abrir o negócio. Ele tinha o hábito de trazer do Rio porções de massas fabricadas em outros estabelecimentos similares para servir em casa. Isto despertou a atenção para a carência deste tipo de
serviço na localidade. O empresário conta que percebeu que não era o único a ter este costume. Percebendo a demanda resolveu investir em uma fábrica e loja de massas artesanais que pudesse atender tanto ao público local quanto ao veranista.
As massas são produzidas a partir de ingredientes clássicos da culinária internacional combinados àqueles típicos da cozinha brasileira. O resultado é um variado cardápio de massas leves, também integrais e recheios pra lá de saborosos. Os molhos também preparados pela chef garantem uma combinação perfeita.
Coloridas e com diferentes formatos, as massas prometem mesmo cair no paladar de petropolitanos, turistas e veranistas. Entre as opções está o Capeleti de Beterraba recheado com Galinha d’Angola e Palmito Fresco. Tem ainda a Meia-Lua de Urucum recheada com Carne Assada e o Ravioli de Espinafre com recheio de Ricota de Búfala e Alho Poro e, por fim, o Ravioli Integral recheado com Caprese.
Como não poderia deixar de ser, os molhos criados pela chef Bruna, possuem um toque especial, e são deliciosos – Alfredo AL Limone, Pomodoro com manjericão fresco, Pesto Genovês, entre outros. Mais outra sugestão da casa são as lasanhas, com porção para duas pessoas. Tem a tradicional com ragu de carne e a de espinafre com ricota de búfala, abobrinha e alho poro.
O tradicional nhoque recebeu um toque todo especial. Com uma receita diferenciada, à base de batata baroa ao molho ragu de carne, já é sucesso. Para finalizar, as saborosas tortas salgadas como a de espinafre com cebola roxa e a de queijo de cabra com shitake e cogumelo Paris, são opções bem interessantes.
Com o intuito de facilitar a vida dos clientes, “Bendita” trabalha com delivery, dentro do horário de funcionamento da loja: de quarta a sábado, das 9h às 19h e domingo, das 10h às 14h. Experimente um novo prazer em casa!

SERVIÇO
Bendita – Massas Artesanais
Endereço: Estrada União e Indústria, nº 8.796 - Itaipava
Informações e encomendas: (24) 2247-0599

Tiramisu: o mais famoso ‘dolce’ italiano


O Tiramisu da Trrattoria S’a Carola tem creme especial desenvolvido pelo chef Marcelo Pieri. (divulgação)

A origem e as tradições dos famosos pratos existentes no mundo sempre passeiam por histórias interessantes, contos e lendas. O Tiramisu é o doce italiano mais famoso, e é hoje conhecido e apreciado mundialmente. Assim como muitos pratos, teve uma origem regada de curiosas historias.
O principal ingrediente do Tiramisu é o creme de Mascarpone. Trata-se de um queijo Italiano, suave, variando de 60% a 75% de gordura. Possui um sabor delicado, é bastante cremoso, e de cor branca. É da região da Lombardia, ao norte da Itália, área bastante agriculta e leiteira.
O Mascarpone é feito a partir do leite de vaca, sem o uso de queijo coalho ou fermento em sua produção. A umidade é drenada através do uso de uma pequena quantidade de acido cítrico, e um pano bem fino. O resultado é um creme liso, que serve de base para muitas receitas, como por exemplo, essa famosa sobremesa italiana.

Origem do Tiramisu
Uns a localizam no século XX, após a Segunda Grande Guerra, em Treviso, Vêneto. O nome viria da sobremesa energética "che ti tira su" (que te faz levantar) usada para revigorar boêmios, em especial nas noitadas dos bordéis  do Vêneto . Outra possibilidade é que o Tiramisù teria sido inventado na região da Toscana, e compreende um pavê com creme de Mascarpone, massa de pão-de-ló (geralmente substituído por biscoito inglês ou de champanhe), molhado no café, vinho marsala, cacau em pó e/ou chocolate em barra, tudo disposto em camadas.
Uma das versões conta que Siena, na Toscana, havia sido dominada por volta do século 16 pela família dos Médici, senhores de Florença. Em homenagem a um deles, teria sido inventado um doce que deu origem ao Tiramisu. Esse doce criado para homenagear o Granduque de Florença, tinha o nome de “Zuppa del Duca”, e era feito com ovos , leite e vinho marsala, e por isso era chamado também de sopa inglesa. Segundo historiadores, o doce tinha como objetivo produzir um descendente para a família, e parece realmente ter dado certo, pois, Granduque Cosme Terceiro teve três filhos. Ao Tiramisu acrescentou-se o café, considerado afrodisíaco, e o chocolate, que era estimulante, e por causa dessa combinação, esse pavê era consumido na Toscana antes dos encontros amorosos. Depois disso, a popularização do Tiramisu na Itália foi questão de tempo. Em todo o país, milhares de turistas procuram por doçarias que vendem exclusivamente esse famoso “dolce”. A velha disputa pela paternidade da receita também acontece com o Tiramisu, e algumas cidades da Itália “brigam” pela origem da sobremesa. O fato é que a Itália se destaca na gastronomia pela importante e fundamental valorização da história e das tradições, e é possível ver que a alegria de comer por lá é diferenciada.

O verdadeiro Tiramissu em Petrópolis
Na Cidade Imperial, precisamente no Pólo Gastronômico do Valparaiso, uma receita de Tiramisu tem encantado os frequentadores da Trattoria S’a Carola. A receita criada pelo chef Marcelo Pieri é uma verdadeira surpresa, já que ele próprio desenvolveu uma forma de produzir o que seria o Mascarpone, um creme liso e de textura aveludada, que dá um sabor todo especial ao doce. Uma verdadeira delícia!

SERVIÇO
Trattoria S'a Carola
Rua Gonçalves Dias, 414 – Valparaíso
Tel.: (24) 2237-9562



Fast food japonês

O Cone que conquistou o Brasil

 No Sakurá Sushui, o Temaki do Chef é à base de haddock empanado. (Divulgação)

Cada vez mais apreciado entre os admiradores da culinária japonesa, o temaki começou a ser difundido há pouco tempo no Brasil, mas teve uma rápida aceitação dos consumidores.
Tornou-se muito popular nas principais cidades brasileiras, com uma explosão de lojas especializadas. Uma variação do tradicional sushi, os cones, como são chamados por causa do formato, consiste no ritual de cortar o peixe e enrolá-lo na alga com arroz. São saborosos, práticos e ficam prontos para consumo em menos de cinco minutos.
O nome refere-se ao se modo de preparo que, em japonês, “te” significa mão e “maki” enrolado, dispensando a esteira normalmente utilizada para no preparo do sushi. Arroz, salmão, atum e shitake são ingredientes fundamentais na elaboração do temaki, assim como no sushi.

Como se come?
Temaki se come com a mão mesmo. Como outros pratos da culinária japonesa, o alimento
é leve e combina com o verão. Por isso o temaki virou febre no Brasil. Novas casas especializadas são abertas todos os dias em grandes centros, litorais e interior. Em Petrópolis não é diferente.
Mas um deles tem se destacado nos últimos meses, o Sakura Sushi. Comandado pelo chef Rodrigo Trindade (foto), o restaurante vem despertando a curiosidade e admiração de petropolitanos e turistas, mas um temaki em especial tem despertado a curiosidade dos frequentadores. O especial do chef, preparado com alguns segredos que o sushiman revela. O diferencial está na alga crocante, a quantidade certa de arroz e recheio. O haddock empanado numa massa exclusiva do Sakura, além é claro, da técnica usada para enrolar na mão, dado o significado do nome. Por ser uma comida saudável e rápida, o temaki é uma ótima opção para quem quer se alimentar bem, mas tem pouco tempo e ótimo para fugir dos fast foods tradicionais.

Rodízio
As duas lojas do Sakura Sushi oferecem Rodízio de Temaki às terças, quintas e sábados por R$34,90. Então, ficou com vontade? Passe em um dos endereços e peça já o seu temaki especial do chef.

SERVIÇO:
Sakura Sushi
Rua Dr. Alencar Lima, 30 – Centro (24) 2242-1848


Papo de Adega: é Primavera!

PAPO DE ADEGA
por Flávia Medeiros *

É Primavera!

Você sabia que na estação mais colorida do ano, acontece o equinócio?  Sabe-se que o sol nasce exatamente no ponto Leste e se põe no Oeste. A palavra equinócio vem do Latim, aequus (igual) e nox (noite) - “noites iguais”, período em que o dia e a noite duram o mesmo tempo. Ou seja, teremos mais tempo para desfrutar de bons momentos e degustar um vinho com mais tempo.  As flores são destaque da estação, e enchem nossos olhos com sua beleza. Rosas, gérberas, hibiscos, margaridinhas, orquídeas (ahh...minha predileta), tulipas,jasmim, hortênsia, violeta, dama-da-noite. Quantos aromas hein!


 A estação das flores também oferece boas dicas de harmonização

E agora? Abandono os tintos potentes e degusto os brancos florais? E os Roses? O que fazer?
Para comemorar e aproveitar esta estação com tudo o que temos direito inclusive os melhores vinhos que harmonizam com ela, devemos levar em consideração a leveza, os tons claros e a tendência de pratos mais leves e que farão sucesso com toda a certeza! São espumantes, vinhos brancos, vinhos rosados, vinhos de sobremesa e vinhos tintos leves. Escolha o seu! A primavera traz uma abundância de excelentes produtos frescos, como pimentões coloridos e aspargos saborosos, que ficam excelentes quando acompanham aves e peixes. O famoso bife de carne, também muito apreciado entre os brasileiros, pode vir acebolado numa redução de vinho branco. Enfim, deixo a elaboração dos pratos para os Gourmets e Chefs de plantão, mas com a dica de que as bebidas que melhor acompanham essa estação são; vinhos brancos refrescantes, rosés delicados e tintos leves.
Não deixe a primavera passar sem harmonizá-la com essas castas: Chardonnay  jovem ou de barrica, indicado para pratos mais encorpados ou não, eles fazem bonito, com boa acidez, estrutura e tons de dourado diferenciados. Os Sauvignon Blanc são leves e  possuem tons verdeais que surpreendem aromaticamente e na harmonização com queijos leves e saladinhas especiais, ficam divinos.
Quantos tons de rosés você conhece? Eu conheço alguns!  No Velho ou Novo Mundo vão de tons casca de cebola ( Provance) à cerejas e acastanhados tijolo, colorem as mesas, deixam uma foto mais elegante, além serem ótimos na harmonização.

Mas e os tintos?
Sim, porque não? Não há necessidade de se degustar um de graduação alcoólica 14% , temos tintos de 11,5% - 12%, de safras jovens que participam da primavera com muito aroma de dama da noite e cor rubi jovem, Cabernet Sauvignon e Merlot  são boas escolhas.
Então, agora que você já sabe que pode ter boas experiências, é hora de ir às compras e aguardar a estação das flores com um belo vinho nas mãos, ou melhor, na taça!
Tenho certeza que será uma Estação de gratas surpresas e encontros inesquecíveis!  Até a próxima!

(*) Flávia Medeiros
Consultora em vinhos e com especialização na área. No Brasil é uma das poucas profissionais que conta com a certificação Wine & Spirit Education Trust – Level 2. Contato: chateaumedeiros@hotmail.com 



Sônia Serra Delícias: comida no fogão à lenha

O sabor do fogão à lenha com a praticidade dos congelados


Salmão com camarões flambados, lula e purê de batata baroa é um dos pratos de sucesso preparados pela gourmet. (Divulgação)

Primeiro vieram os doces, cuidadosamente preparados com um toque de compota da fazenda, por serem preparados no fogão à lenha. Depois de algum tempo, os quitutes de Sônia Serra Delícias foram mudando e se adaptando ao paladar dos clientes a cada novo pedido.
Tudo começou há doze anos, quando a então professora Sônia resolveu dedicar-se inteiramente à sua paixão. Após se aposentar, viu que poderia fazer algo que amasse tanto como ao magistério, mas que encantasse as pessoas de forma diferente e assim surgiu o projeto Sônia Serra Delícias. Os doces e compotas foram dando lugar aos pratos salgados como empadão, frango à parmegiana, feijão, arroz integral, tudo com o sabor que só o fogão á lenha pode proporcionar.
Os congelados preparados no fogão à lenha vêm arrebatando os paladares mais exigentes dentro e fora de Petrópolis. A ideia é que cada cliente receba em casa uma refeição congelada, mas sem abrir mão de sabor, fugindo da padronização do fast food que inunda os supermercados atualmente. Após doze anos de experiência na cozinha, a marca se vem conquistando cada vez mais espaço no cenário gastronômico. O cardápio oferece opções saborosas seja para o dia a dia ou para uma ocasião especial, como as ceias de fim de ano, tem sempre uma delícia para cada paladar. Os temperos colhidos diretamente da horta cultivada pela própria gourmet fazem a diferença na hora do preparo. As empadas e empadões são preferências entre os clientes. Mas se você deseja um cardápio semanal, também há as opções de quites compostos por diversas refeições que servem até duas pessoas e varia de acordo com a preferência de cada um.
A qualidade dos ingredientes somada ao cuidado no preparo dos pratos faz toda a diferença. Não abro mão de trabalhar com bons ingredientes, os clientes sempre percebem quando há mudanças, por isso na minha cozinha só entra o melhor. Comenta Sônia, orgulhosa do sucesso.
O fogão á lenha, companheiro de muitos anos contribui e muito para as características mais marcantes de cada prato. O feijão, por exemplo, exibe um brilho único e sabor incomparável. Os molhos, sempre preparados seguindo os rígidos padrões de qualidade da chef, não denotam diferença nem no sabor nem na textura quando descongelados. Além do cardápio básico semanal, algumas delícias novas surgem da cartola da gourmet, como o ossobuco com mousseline de batatas, arroz negro com lula ou camarão, ou a massa negra com molho de água de coco e claro, os camarões empanados, todos prontos para fazê-lo cometer o mais prazeroso dos pecados, a gula.  Os pedidos podem ser feitos também por pratos individuais através do telefone ou pela internet, uma maneira de facilitar para o cliente e para a empresa, revela a gourmet que divulga seu cardápio semanal nas redes sociais. Se você busca praticidade sem abrir mão de sabor, com certeza apreciará os preparados de Sônia Serra Delícias.

SERVIÇO
Sônia Serra Delícias
(24) 2243-7947 / (24)98132-7321
soniamaramba@oi.com.br / facebook.com/soniaserradelicias



Comida italiana sem glúten

Mais do que deliciosos, pratos italianos podem ser saudáveis

 A lasanha livre de glúten e lactose é uma ótima opção para uma refeição rápida e saborosa

Entre a grande variedade de pratos típicos, a culinária italiana é a favorita de muitos brasileiros. Além de deliciosa, muitos dos ingredientes utilizados podem trazer grandes benefícios para a saúde. E o melhor, é que eles podem ser facilmente encontrados na X da Saúde.
O azeite, indispensável para os italianos, é excelente para o coração e o controle do colesterol. Os queijos, que sempre acompanham uma boa massa, são ricos em cálcio, que fortalece os ossos. Já o tomate, muito utilizado nos molhos, é rico em vitamina C e licopeno, um antioxidante que ajuda a reparar alguns danos nas células do organismo. Sobre os legumes, os comentários são óbvios. Todos sabem que eles são parte essencial em uma dieta saudável. No norte da Itália, são muitas as receitas que permitem a inserção desses alimentos. E não poderíamos deixar de falar das massas, centro da cozinha italiana. Elas são ricas em ácido fólico, ferro e vitamina B e podem ser ainda mais benéficas caso o produto seja integral. Dessa forma, há um maior consumo de fibras, permitindo maior sensação de saciedade. No X da Saúde, há uma linha completa desses artigos.
As massas e os deliciosos molhos são de dar água na boca. No entanto, há quem fuja dessas tentações devido ao seu valor calórico. A situação fica ainda mais complicada se existe alergia ao glúten, proteína presente naturalmente em muitos cereais, como o trigo e o centeio, matéria prima das massas. Outro problema é a alergia à lactose, açúcar presente em laticínios, como o queijo, um dos ingredientes mais comuns na culinária italiana. Pensando nisso, o X da Saúde trabalha com diversos produtos isentos dessas substâncias.

SERVIÇO
X da Saúde
Praça da Inconfidência, 22 – Centro
(24) 2231-2589
www.xdasaude.com.br / xdasaude@xdasaude.com.br



Coxinha: o salgado preferido pelo brasileiro

Coxinha tradicional, com muito frango, da Padaria Sul América

Rei dos salgados no Brasil, a coxinha é o terror das pessoas que evitam frituras e o prazer das que se permitem deliciar com o quitute mais querido dos brasileiros.
Infelizmente, como a maioria das especiarias culinárias tupiniquins, quiçá do mundo, a coxinha não possui registros históricos oficiais.
Acredita-se, no entanto, que o salgado tenha surgido do gosto por galinhas do filho da Princesa Isabel e do Conde D’Eu, que moravam numa fazenda no interior de São Paulo, em Limeira. O garoto, recluso devido a uma delimitação mental, era cheio de caprichos. Sempre que gostava de alguma comida, encasquetava com a dita cuja e exigia que sua cozinheira preparasse apenas o prato da vez: o frango.
Certo dia, da falta de frango suficiente para fazer os pratos que o garoto lhe pedira, a cozinheira da família resolveu transformar uma galinha inteira em coxas. Teria surgido assim a popular coxinha, que depois de experimentada pela Imperatriz Tereza Cristina, ganhou fama nas festas da realeza da época.
A história parece um tanto inventada, mas o que nos interessa mesmo, é que a coxinha existe! Aqui em Petrópolis não é diferente, o salgado é o mais procurado nas lanchonetes e padarias.
–Vendemos mais de 100 coxinhas por dia, é sem dúvida um dos salgados mais procurados aqui da Padaria Sul América – conta Fábio Rego.
Existe uma infinidade de sabores para o famoso salgado – como carne e pizza – e, recentemente, ele começou a receber alguns retoques gourmets. Mas a coxinha original e mais popular é, sem dúvida, a de frango – com ou sem catupiry. Nesta edição apresentamos algumas versões. Confira e se delicie!

Na sequência de fotos: Coxinha com recheio de camarão do Ponto Doce (2), Coxinha bechamel da Casa Mojira Kan  Delicatessen & Padaria Artesanal (3) e Coxinha com massa temperada do Sr. Gastão (4). Fotos MS Comunicação