quarta-feira, 6 de maio de 2015

Gastronomia da Família Pellegrini atrai consumidores


Inaugurada no dia 1º de abril, a Casa Pellegrini vem resgatar a historia de uma família que dedicou sua vida à gastronomia. Localizada na Rua 13 de Maio, o local abriga cerca de 50 lugares e funciona de segunda a segunda a partir das 12h da manhã, com várias opções que vão do almoço executivo semanal, passando pelas entradas deliciosas, quiches, sanduíches até as massas: o ponto alto da casa. Quem comanda o negócio são os irmãos Augusto e Antonio, filhos da gastrônoma Cristina Pellegrini, que dispensa apresentação. “Meus dois filhos herdaram da minha família (Pellegrini) o tino pela gastronomia. Já o tino comercial veio por parte da avó paterna, Dulce Nicodemus”, orgulha-se.
A Casa Pellegrini é o que faltava na cidade e tem tudo aquilo que se espera de um espaço que
privilegia a cozinha italiana. Pelo cardápio encontramos sugestões de entrada como Berinjela Orgânica, Provolone em Cubos, Salaminhos, Saladas Caprese e Salada Bella Itália que encantam os apreciadores de boa mesa. Tem também as quiches que são receitas da própria Cristina Pellegrini, além de outras gostosuras como Espeto de Queijo Coalho, Porção de Pastel, Porção de Pernil e Linguiça Capriatta, mas o destaque fica mesmo para a Grande Porção Pellegrini (batata frita, calabresa, pernil, contra filé, três tipos de molho e pão), para a alegria dos fiéis consumidores que vão ao local degusta-la em companhia das diversas cervejas artesanais que a casa oferece, além de caipirinhas que caíram no gosto dos clientes.
“Nos fins de semana, chagamos a funcionar até às 2h da manhã”, conta Augusto, animado com o sucesso do novo empreendimento administrado pela família.

Agora se você aprecia uma boa pizza, encontramos uma autêntica, em porção individual,  produzida com massas bem fina, (tipo piadina) nos sabores Mussarela, Calabresa com alho poro, Marguerita, Salaminho e Quatro queijos.
“O Hambúrguer artesanal de nossa própria fabricação, o Sanduíche de Mortadela Bologna com pistache, o Pão com linguiça e queijo e o Sanduíche de Pernil são os lanches mais apreciados pelo público mais jovem”, lembra Cristina, que também assina a produção das tortas que são oferecidas como sobremesa. A lista inclui Chocolate, Nozes e Chocolate com Amêndoas, cada uma mais gostosa que a outra. E como  na Casa Pellegrini tudo respira história e tradição, as massas são um capítulo à parte. Eles disponibilizam as chamadas massas lisas (spaguetti, taghiatelli e penne) que podem ser acompanhadas com várias opções de molhos:
ao sugo, bolognesa, três queijos além dos especiais: Vito Luigi (molho de carne assada) em homenagem ao bisavô dos proprietários e Teodósia (molho de gorgonzola com alho poro e amêndoas), em homenagem a bisavó.
O espaço é um tanto aconchegante e encanta pela simplicidade e pelas lembranças espelhadas pelas paredes. Quem curte produtos artesanais ainda pode comprar no local e levar para a casa produtos do Armazém Sustentável como geleias e antepastos, além de pimentas, chutney e licores da empresa Pimentas & Sabores, gengibre cristalizado, lascas de limão siciliano e de laranja do Homem da Montanha, empresa de Itaipava. Mas isso é apenas o começo. Muitas novidades ainda serão incorporadas no cardápio no decorrer deste ano. É vero!

HISTÓRIA DE FAMÍLIA
Em 1887, Vito Luigi Pellegrini, desembarcou no Brasil vindo da Itália. Onze anos depois fundou a Casa Pellegrini, em 1898. Em 1901 retornou à sua cidade natal, Polignano a Mare, para buscar sua amada Teodósia L'abbate, com quem se casou. Juntos expandiram os negócios em Petrópolis, criaram 10 filhos e perenizaram as tradições culinárias que trouxeram da Itália.
Durante décadas a Casa Pellegrini foi referência pela qualidade de seus produtos e ficou famosa em seu endereço: ao lado do prédio dos Correios, onde hoje fica o Edifício Pellegrini.

SERVIÇO
Casa Pellegrini - Restaurante Italiano, Lanchonete e Bar
Rua 13 de Maio 184
Funcionamento: de 2ª à 5ª feira das 12h às 00h
6ª, sábados, domingos e véspera de feriado: de 12h às 2h da manhã
Tel: (24) 22316110


Doces especiais para um dia especial

Não há mãe que resista a um chocolate, um doce delicioso, uma torta ou há? Essas gostosuras costumam ser uma ótima opção para o Dia das Mães. Confira uma lista de doces exclusivos para o domingo, dia 10, e aproveite para fazer a vontade dessa mulher tão especial na sua vida!

Torta de Morando da Tia Mena, a mais pedida! (Telefone: 2231-4794)


Doces finos da Padaria e Confeitaria Sul América (Telefone: 2242-3156)

Minitortas da Guida Margarida. (Telefone: 22430731)


Tortas de Cristina Pelegrini, diversos sabores. Apenas por encomenda. (Telefone: 22316110 ou 988092210)



Doces irresistíveis da Willemsen Confeitaria. 
(Telefones: 2243-3362 e 2243-9439)

O Preço do Vinho

por Flávia Medeiros*
No mercado brasileiro, encontramos vinhos com preços muito variados, desde os que custam poucos reais até os que valem muito. Para quem não bebe diariamente mais sim em datas específicas do ano como o Dia das Mães que chega logo, é notória a alta de cada garrafa ao decorrer dos meses. Saiba que, além de datas comemorativas, existem outros fatores que influenciam o preço dos exemplares.

Provavelmente você, como apreciador de vinhos, já deve ter se perguntado por que há valores tão distintos entre uma garrafa e outra.
Para compreender o porquê disso, é preciso analisar os custos da vinificação e de todos os processos. São eles: custos com a produção, impostos ( é a maior fatia) e os efeitos do mercado.

$) Custos para Produzir
Desde o custo do metro quadrado de terra onde o vinhedo é plantado, passando pela produção do vinho e até o momento em que ele seja vendido a um distribuidor ou ao consumidor, vários processos podem acrescentar valor ao exemplar. Seriam muitos a enumerar.

$) Preço da Uva ( matéria prima): o preço do quilo da uva é influenciado diretamente pelo renome do vinhedo que, por sua vez, tem origem na fama que os vinhos produzidos alcançam no mercado.

$) Rendimento do Vinhedo: quando o vinhedo é muito produtivo, termina por gerar uvas de menor qualidade, com frutos mal nutridos.
Assim, menores produções geram uvas com maior concentração dos componentes necessários para dar qualidade aos vinhos, embora isso reduza o volume total do vinho produzido, encarecendo o produto.

$) Mão de Obra: esse é outro item cujo preço varia muito conforme o país e a região. Seja nos tratos com o vinhedo, colheita ou vinificação, ela é cada vez mais cara e rara. O custo com uma colheita feita à mão é muito maior que a mecânica.

$) Custos da Vinificação: são vários os processos que encarecem o vinho. O uso de mão de obra em processos como seleção manual de grãos, o uso de tecnologia de ponta nos equipamentos (tanques de fermentação, prensas, etc), instalação e manutenção de um laboratório de análises, aquisição de leveduras selecionadas, uso de barricas de carvalho novas (o preço de uma barrica de carvalho francês, por exemplo, pode chegar a R$ 10.000,00).
Tudo o que o enólogo tem à sua disposição e as escolhas que faz vão impactar no preço final do produto. Além disso, outros custos como rolhas, rótulos, garrafas, marketing, etc, também contribuem para o aumento do preço.

$) E lá vem eles... Os Impostos
Mesmo para quem já tem conhecimento, o montante é sempre assustador. A carga tributária total que incide sobre o preço do vinho importado chega a cerca de 85%, divididos entre IPI, ICMS, PIS, Imposto de Importação, Cofins, e outros. É surpreendente!
Vale lembrar que os vinhos da área do Mercosul são isentos do Imposto de Importação (aproximadamente 20% da carga tributária).

$) Efeitos do Mercado
Seja ao longo da história ou mais recentemente, graças a técnicas bem desenvolvidas, é sempre o marketing bem conduzido que faz com que os produtos adquiram fama no mercado mundial, aumentando suas demandas.
Aí chegamos à conhecida “Lei da Oferta e da Procura”. Quando mais desejado for um vinho e menor for a sua oferta, maior será o seu preço.
Dessa forma, o produtor elevará o valor do seu produto até o limite que o mercado esteja disposto a pagar, valor que pode estar muito acima das possibilidades da grande maioria dos apreciadores da nobre bebida.
Apesar de se poder questionar o valor de vinhos que atingem preços inacreditáveis, não se pode negar a grande qualidade que eles possuem, sobretudo, aqueles que já gozam de reconhecimento há muito tempo.
Então caro leitor, para o almoço com sua mamãe, escolha um vinho interessante porém acessível, pois nem sempre o mais caro é o melhor, e com certeza para ela, o seu amor sim é impagável!
Parabéns as Mães enófilas  e também as marinheiras de primeira viagem pelo seu dia!

(*) Flávia Medeiros
Consultora em vinhos e com especialização na área. No Brasil é uma das poucas profissionais que conta com a certificação Wine & Spirit Education Trust – Level 2. Contato: chateaumedeiros@hotmail.com 




Massa sem glúten: novidade no Spoleto


Salada Capri, com vegetais e massa sem glúten. (Divulgação)

A rede Spoleto sempre ‘antenada’ em ampliar o leque de opções saudáveis, diversifica seu cardápio em 2015 e lança saborosas receitas de saladas prontas. A nova campanha da Artplan para o Spoleto destaca o conceito de leveza dos pratos e frescor dos alimentos para agradar os clientes que buscam uma alimentação saudável e balanceada. Uma das grandes novidades do cardápio é a Salada Capri, que tem como base a massa sem glúten. “Com o lançamento das novas saladas e da massa sem glúten, o Spoleto teve um crescimento de 10% nas vendas”, conta Frederico Autran, proprietário da franquia em Petrópolis.
A massa sem glúten é uma opção saudável e segura de consumo não apenas para celíacos, mas para todos que seguem uma dieta sem esse tipo proteína que está presente na farinha de trigo, centeio, cevada, malte e aveia.
A nova geração saúde, que frequenta as academias, adotou à ideia de evitar o glúten, pois, segundo eles, praticando uma dieta equilibrada associada a exercícios físicos, existe uma definição corporal melhor e mais rápida. A classe artística também aderiu em cheio. Existe até os que levantam à bandeira do ‘glúten free’ como a cantora Luiza Possi. A atriz Carol Castro e o humorista Rodrigo Sant’Anna também eliminaram o glúten e tiverem seus corpos modificados.
A professora petropolitana Maria Rosa Albuquerque (57), contou ao Caderno de
Gastronomia do Petrópolis em Cena que cortou o glúten de sua alimentação antes mesmo de ter repercussão na mídia. Ela adorou saber as opções que o Spoleto oferece e disse que poder consumir sem culpa é um presente para quem não abre mão de uma boa massa. “Não sou celíaca, mas em pouco tempo já senti os benefícios no meu corpo quando deixei de consumir o glúten: o inchaço acabou o intestino voltou a funcionar bem e não me sinto mais indisposta”, contou.
Para a professora, que passa por uma longa jornada de trabalho, poder se alimentar bem e de forma saudável durante o almoço e o jantar foi um achado. “Desde que fiquei sabendo que o Spoleto oferece massa sem glúten não quero saber de outra coisa. Misturo vegetais e vario sempre o molho. Muitas vezes, pela falta de tempo, levo para consumir em casa. É sem dúvida uma ótima opção para quem deseja manter e forma e se livrar de certos desconfortos”, finaliza.
Vale ressaltar que tanto a massa sem glúten quando a salada de massa sem glúten vendidas no Spoleto não podem ser consumidas por portadores de doença celíaca por causa da contaminação no processo de cozimento.
Para que deseja saber as vantagens e desvantagens de não consumir o glúten, o ideal é procurar uma orientação nutricional.

SERVIÇO
Spoleto
Rua do Imperador,
Próximo ao número 834 – Centro.
Telefone: (24) 2231-4307
Funcionamento: de 10h às 22h





Oficina de Pães no Duetto's